Quatro pessoas morrem durante saques de comida na Venezuela

Quatro pessoas morrem durante saques de comida na Venezuela

Quatro pessoas morreram e ao menos 15 ficaram feridas na quinta-feira (11/1), durante saques de comida em várias regiões do estado de Mérida, no oeste da Venezuela, segundo informações da oposição e

Leia tudo

Quatro pessoas morreram e ao menos 15 ficaram feridas na quinta-feira (11/1), durante saques de comida em várias regiões do estado de Mérida, no oeste da Venezuela, segundo informações da oposição e da imprensa local.

“Em Arapuey (norte de Mérida), são vários dias de conflito, hoje com saques a comércios, caminhões e confrontos com militares. Até agora, há quatro mortos, dez feridos e cerca de 100 presos”, confirmou o deputado opositor Carlos Paparoni à agência de notícias AFP .

O parlamentar do partido Primeiro Justiça, o esmo de Henrique Capriles, indicou que entre os mortos há um menor de idade, dois homens, de 23 e 73 anos, e uma mulher, de 26 anos. Na quarta (10), um jovem, de 19 anos, morreu após ser baleado durante um saque de caminhões que transportavam farinha de trigo e frango na cidade de Guanare, no estado de Portuguesa, oeste da Venezuela.

Gaby Arellano, deputada opositora do partido, disse que quatro pessoas morreram e 15 ficaram feridas em Arapuey, informação também emitida pela imprensa local. Ela disse ainda que a região está “tomada” por policiais e que “comerciantes tentam defender suas propriedades”.

Paparoni publicou um vídeo no Twitter em que é possível ver um grupo de homens, aos gritos de “temos fome”, atirar pedras em uma vaca dentro de uma fazenda e bater nela, possivelmente para matá-la e roubar a carne.

“Acontecimentos em Arapuey são consequência da terrível crise econômica a qual o país passa”, disse no Twitter a Ação Democrática, um dos principais partidos da oposição.

A Venezuela atravessa uma aguda crise econômica, caracterizada por escassez severa de alimentos e medicamentos e hiperinflação de mais de 2.000%, que resultou, nas últimas semanas, em pequenos protestos por falta de comida.