Morto em confronto na Rocinha fazia parte de quadrilha que extorquia moradores da favela

Morto em confronto na Rocinha fazia parte de quadrilha que extorquia moradores da favela

De acordo com a polícia, além de vender drogas, quadrilha de Rogério 157 também é conhecida por explorar serviços dentro da comunidade.

Leia tudo

Um dos homens que morreram durante uma troca de tiroscom policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na Rocinha, na noite de quarta-feira (6), era responsável pelo recolhimento de dinheiro de extorsão com mototaxistas.

De acordo com a polícia, além de vender drogas, a quadrilha de Rogério 157 também é conhecida por explorar serviços dentro da comunidade. O gás chegou a ser vendido a R$90. O traficante Rogério 157 foi preso na manhã de quarta e, nesta quinta, os moradores disseram que a prisão dele ainda não trouxe mudanças.

A favela da Rocinha teve a primeira noite de tiroteios nesta quarta-feira após a prisão de Rogério 157. Durante um confronto com policiais, três pessoas morreram. Pelo menos dois suspeitos estão entre os mortos, segundo a polícia. Uma equipe da PM teria se deparado com criminosos na localidade conhecida como Rua Dois e houve um intenso tiroteio entre agentes e suspeitos.

De acordo com o 23º BPM (Leblon), houve ainda disparos de arma de fogo na localidade do 199, na parte alta da favela da Rocinha, durante a noite de quarta. Nesta quinta-feira (7), as escolas e os postos de saúde funcionaram normalmente pela manhã.

Polícia identificou outros suspeitos de comandar tráfico na Rocinha

A polícia afirma que José Carlos de Souza Silva, o gênio, de 29 anos, já assumiu o lugar de Rogério 157, no comando do tráfico de drogas da Rocinha. Outros homens do bando também foram identificados, como o gerente do tráfico Washington de Jesus Andrade Paz, o W, de 25 anos. Em imagens exibidas pelo RJTV, ele aparece na piscina de uma casa na Rocinha junto com Jhonatan Pessanha, o JT, Mc Tikão e mais um homem que não teve o nome divulgado.

Posts Relacionados

.