É hoje! Suzy flagra Samuel e Cido, bate nos dois e espalha para o hospital

É hoje! Suzy flagra Samuel e Cido, bate nos dois e espalha para o hospital

É hoje! Depois de tantas idas e vindas, Suzy (Ellen Rocche) vai acabar caindo no plano de Clara (Bianca Bin) e flagrará Samuel (Eriberto Leão) usando calcinha enquanto está com Cido (Rafael Zulu).

Leia tudo

É hoje! Depois de tantas idas e vindas, Suzy (Ellen Rocche) vai acabar caindo no plano de Clara (Bianca Bin) e flagrará Samuel (Eriberto Leão) usando calcinha enquanto está com Cido (Rafael Zulu). Assim que chega no quarto, ela quase é impedida por Cido, mas consegue avançar pelo cômodo, é quando vê Samuel na cama: “Uiiiiii! Tigrão? Tigresa?”, dirá, enchendo o de tapas e unhadas.

“Minhas calcinhas! Eu te mato! Eu te mato”, dirá, partindo para cima de Cido: “Toma também. Bicha! Bicha! Bichas. Meu marido é gay, meu marido é gay”, falará, antes de ir para casa arrumar suas malas. Em conversa com Clara, ela agradecerá a “amiga”, por ter aberto seus olhos. Antes disso, ela conseguirá fazer um acordo com o já ex-marido, para que ele pague uma gorda pensão, além de a tirar de plantões noturno.

Na sua conversa com Clara, ela dirá que sente vontade de explodir, sendo orientada pela mulher a fazer exatamente isso: “E daí? Explode. Se tem vontade de explodir, explode”, afirmará. Suzy concluir que é o melhor a se fazer, imaginando que assim ele não enganará mais ninguém. “Assim ele não enganará mais nenhuma coitada como eu. Não brincará com os sentimentos de alguma outra mulher. Tem toda razão, Clara. Eu vou botar a boca no trombone”, dirá.

No hospital, ao encontrar com o ex-marido, ela ouvirá do mesmo que é muito bom saber que a partir de agora ambos terão uma relação civilizada. Nesse momento ela espalhará para todos do hospital o que flagrou na noite anterior: “Civilizada? Tigresa, tigrete! Meu marido é gay! Meu marido é gay! Gay, gay! Meu marido é gay! Esse ser, esse ser que vocês tão vendo, casou comigo só pra ter uma fachada. Eu, boba, nem desconfiava. Mas peguei ele de calcinhas com outro homem”. A mulher ainda lembrará que um médico foi demitido justamente por ser gay: Além de tudo, ela é má. Maléfica. É um gay com horror a gay. O tipo mais falso, mais amargo, que pode existir”, afirmará. Samuel observará Clara aparecer em um canto do corredor, é quando ele sai correndo, apavorado para a sua sala. O assunto vai se espalhar pela cidade imediatamente.